Norte

Norte

Norte

Chiang Mai

Chiang Mai

 

A província de Chiang Mai, situada a 700 quilómetros a norte de Banguecoque, é a personificação do charme e da beleza que caracterizam o norte da Tailândia. A paisagem, composta por montanhas cobertas por densas florestas e onde despontam vales idílios de rios, contrasta com a das cidades, vilas e aldeias, onde a notável História e cultura milenar dos povos locais coabitam com modernos resorts e hotéis de luxo que fazem as delícias dos visitantes.

A cidade de Chiang Mai, aprazivelmente situada nas margens do Rio Ping, é um tesouro repleto de templos antigos, fascinante pelo seu distintivo estilo arquitetónico tailandês do norte e pela riqueza dos detalhes decorativos. A curta distância da cidade encontra-se o famoso templo Wat Phrathat Doi Suthep, com a sua escadaria de entrada de 300 degraus que recompensam a coragem de quem os soube com uma das mais deslumbrantes vistas da província de Chiang Mai.

A região é igualmente famosa pela excelência do artesanato tradicional de seda, madeira, prata, cerâmica e de muitos outros produtos que fazem da cidade um verdadeiro paraíso para os turistas e compradores. Nos arredores, o campo acena a quem passa, oferecendo viagens de aventura, trekking, percursos no dorso de elefantes, raftings nos rios ou safaris sobre quatro rodas num paraíso natural, onde as tradicionais aldeias de tribos da montanha imprimem um colorido único à paisagem.

Mae Hong Son

Mae Hong Son

 

 

Mae Hong Son, situada a oeste de Chiang Mai, a mais remota das províncias do norte, é o destino ideal para os amantes da natureza, conjugando a paisagem das montanhas selvagens com a dos amplos vales. Na fronteira com o Myanmar, aninhada em montanhas arborizadas envoltas em neblina, a cidade Mae Hong Son é um dos locais mais encantadores do norte da Tailândia, facilmente acessível e sedutoramente remoto.

A estes atributos juntam-se as excelentes opções de alojamento. As atrações para os visitantes incluem um animado mercado matinal e um conjunto de templos com telhados de múltiplas camadas, típicos da arquitetura religiosa birmanesa.

Para lá de Mae Hong Son, viagens de descoberta e aventura conduzem os visitantes à deslumbrante paisagem da montanha, pontilhada por aldeias de tribos nativas, como os Karen, os Meo, os Lisu e os Lahu. Em alternativa, a pequena localidade de Pai apresenta-se como um refúgio tranquilo, onde a deslumbrante paisagem envolvente convida quem a visite a parar, descansar e apreciá-la ao máximo.

Kamphaeng Phet

Kamphaeng Phet

 

Kamphaeng Phet, que em sânscrito significa "Muro de Diamante", é uma sossegada província rural a sul da cidade de Sukhothai, outrora uma importante linha de defesa durante o período Sukhothai (séculos XIII a XIV). A sua ancestral cidade foi declarada Património Mundial pela UNESCO em 1991, mas Kamphaeng Phet não é uma das províncias mais concorridas pelos turistas, oferecendo assim a tranquilidade aos visitantes que queiram ter um vislumbre da Tailândia mais tradicional e menos adaptada ao setor turístico.

As ruínas de Kamphaeng Phet, embora menos numerosas e sem a mesma imponência das de Sukhothai, beneficiam do ambiente tranquilo e arborizado que as envolve, dotando-as de um encanto romântico e realçando o seu valor arquitetónico. Também as maravilhosas nascentes de água quente de Phra Ruang formam piscinas onde é quase impossível não querer mergulhar.

 

Lampang

Lampang

 

Lampang, situada a leste de Chiang Mai, é a mais típica e tradicional província tailandesa. O crescimento do turismo nos últimos anos não conseguiu alterar as tradições e o aspeto da cidade de Lampang, situada nas margens do Rio Wang e dona de um enorme interesse histórico. A província e a cidade destacaram-se culturalmente a partir do século VII, momento em que integravam o Reino de Mon Hariphunchai. No início do século XX, Lampang foi palco do então crucial comércio da madeira de teca. Na cidade, encontram-se vários templos bem conservados que exibem uma mistura de estilos arquitetónicos tailandeses e birmaneses. Nos seus arredores destaca-se, pela sua notabilidade, o templo Wat Phrathat Lampang Luang, sem dúvida o mais fascinante de toda a região Norte.

Chiang Rai

Chiang Rai

 

A cidade de Chiang Rai, situada na região mais setentrional da Tailândia, numa paisagem de montanhas agrestes e vales férteis, é uma relaxante capital provincial onde se podem encontrar excelentes alojamentos, que servem como base perfeita para se partir à descoberta do extremo Norte.
Dois picos altos de florestas, Doi Mae Salong e Doi Tung, situados a poucos quilómetros a norte da cidade, permitem um fácil acesso ao espetacular país montanhoso. Dos dois, Doi Mae Salong apresenta uma paisagem mais selvagem, enquanto Doi Tung tem beneficiado de um projeto de desenvolvimento realizado sob patrocínio régio e estabelecido pela falecida Princesa Mãe.
A nordeste de Chiang Rai, nas margens do rio Mekong, encontra-se Chiang Saen. Local de enorme importância histórica, foi um antigo e influente povoamento e é hoje a cidade mais próxima do sedutor “Triângulo Dourado”, a área de confluência dos rios Mekong e Ruak, que assinala a fronteira entre a Tailândia, o Myanmar e o Laos.

Sukhothai

Sukhothai

 

A cidade de Sukhothai, situada no extremo inferior da região norte, na fronteira com a planície central, foi fundada no século XIII, tendo sido o berço da nação tailandesa e a sua primeira capital. Atualmente, as numerosas ruínas de Sukhothai, bem como aquelas que perduram na cidade-satélite próxima, Si Satchanalai, estão zelosamente conservadas e protegidas em parques históricos, declarados Património Mundial pela UNESCO.
No centro de Sukhothai encontram-se as magníficas ruínas de Wat Mahathat, outrora o centro administrativo e espiritual do antigo Reino. Dispersas a partir de Wat Mahathat por uma área de cerca de 70 quilómetros quadrados, encontram-se as ruínas de mais de vinte outros grandes monumentos que atestam a glória da antiga cidade de Sukhothai.
Si Satchanalai, a 56 quilómetros a norte, uma pequena, mas não menos impressionante localidade, cativa o turista pelo conjunto de ruínas de templos sedutoramente rodeadas por colinas arborizadas.

Nan

Nan

Outrora um reino independente, a província de Nan faz hoje as delícias dos viajantes que procuram as belas paisagens naturais do norte da Tailândia. Localizada num vale verdejante envolto em poderosas montanhas e próxima à fronteira com o Laos, a cidade de Nan é dona de uma paz e tranquilidades deslumbrantes e de um vasto património cultural, onde é inegável a influência arquitetónica da grandiosa época Sukhothai. Porém, são ainda muito visíveis na cidade os vestígios da governação birmanesa, que durou da invasão, em 1558, a meados do século XVIII, quando uma aliança foi estabelecida com o novo governo de Banguecoque para possibilitar a reintegração de Nan no reino tailandês. A província continuou, ainda assim, a funcionar como um condado semi-independente até 1931. 

Hoje em dia, persistem em Nan muitas tribos das montanhas , como os Hmong, os N’tin e os Khamu, que mantêm os seus costumes fascinantes, só por si capazes de levar os visitantes mais destemidos a aventurarem-se até chegarem ao vale, que se mantém longe das principais rotas turísticas. A população local ainda subsiste em grande parte da agricultura, em especial do cultivo de arroz e fruta. A província conta com seis parques nacionais, incluindo o impressionante Parque Nacional Phukha Doi, onde se podem encontrar montanhas de quase 2 mil metros de altura.

Também o centro da cidade de Nan oferece interessantes pontos de visita, onde se incluem várias galerias de arte e um museu local onde a vida das gentes locais se revela um livro aberto aos curiosos. Quanto aos templos, o mais famoso é o Wat Phra That Khao Noi, um templo budista no topo da colina de Khao Noi, encimado por uma enorme estátua dourada e que oferece uma magnífica vista sobre a região circundante.